Petrópolis e Região - Petrópolis como Você Nunca Viu ... 

No século XVIII, em função da exploração das minas de ouro, foi aberta a Variante do Caminho Novo da Estrada Real para encurtar o acesso do Rio de Janeiro às Minas Gerais, passando por terras que hoje fazem parte de Petrópolis. Em suas viagens, no século XIX, D. Pedro I costumava hospedar-se na Fazenda do Padre Corrêa (hoje é sede de uma escola no bairro de Correias) e se encantou com o clima ameno e beleza da região. Decidiu, então, comprar terras para construir seu Palácio de Verão, adquirindo a Fazenda do Córrego Seco. No entanto, com a abdicação em 1831, não foi possível realizar seu sonho.  

Em 1843, incentivado por Paulo Barbosa, Mordomo da Casa Imperial, seu filho D. Pedro II assinou Decreto, arrendando esta fazenda ao engenheiro do Exército Major Júlio Frederico Koeler para criar uma povoação, construir um palácio de verão e uma igreja em homenagem a São Pedro de Alcântara, padroeiro do Império. Surge, então, um arrojado plano urbanístico elaborado pelo Major, dando origem a Petrópolis, a cidade de Pedro. Imigrantes germânicos vieram para essas terras e muito contribuíram para sua urbanização e para a construção da primeira estrada de ferro em 1854, por iniciativa do Barão de Mauá. Outros povos imigrantes também contribuíram para seu desenvolvimento como os portugueses, italianos, árabes, ingleses e franceses. 

As temporadas de veraneio de D. Pedro II e da Família Imperial, que duravam cerca de seis meses (de novembro a abril), atraíram a vinda de nobres, diplomatas e intelectuais que também instalaram suas residências na serra, a exemplo do Barão de Mauá, Barão do Rio Negro, Barão do Rio Branco, Rui Barbosa, Santos Dumont e tantos outros. Características do plano urbanístico e o rico patrimônio arquitetônico do século XIX podem ser apreciados ainda hoje, quando se caminha pelas avenidas floridas do Centro Histórico, entrecortadas por rios e emolduradas por palacetes e mansões. Algumas atrações são imperdíveis como o Museu Imperial (Palácio de Verão de D. Pedro II), Museu Casa de Santos Dumont, Palácio de Cristal, Catedral São Pedro de Alcântara, Palácio Rio Negro (residência de verão dos Presidentes da República a partir de 1903), Palácio Amarelo (sede da Câmara Municipal), Palácio Quitandinha, Museu Casa do Colono e Parque Cremerie

A cidade tem localização estratégica e desfruta de bem cuidada malha viária. Está situada na região serrana do estado do Rio de Janeiro, a 809 metros de altitude, a 65 km da capital e a 40 minutos do Aeroporto Internacional Tom Jobim. Está acessível às grandes capitais da Região Sudeste, através da BR-040, estrada bem sinalizada, que por si só já é um atraente cartão de visitas pela beleza da paisagem e exuberância de suas matas. O clima é ameno e agradável, variando sua temperatura média entre 14º e 23º. 

O Vale dos Gourmets, reconhecido como o 3º melhor pólo gastronômico do Brasil é um importante atrativo de Petrópolis. Inúmeros chefs instalaram seus restaurantes e bistrôs nas regiões de Itaipava, Correias, Nogueira, Araras e Vale das Videiras, atraídos pelo clima privilegiado e pela qualidade dos produtos rurais (hortaliças, ervas para temperos, trutas, escargots, cogumelos, etc.) e pelas delícias produzidas pelos descendentes dos imigrantes europeus. 

Os Circuitos Eco-rurais oferecem a oportunidade de apreciar a natureza, respirar o ar puro da serra e visitar as propriedades rurais e os ateliês de arte e artesanato da comunidade local. São eles: Circuito Eco-rural Caminhos do Brejal, Pedras do Taquaril, Rota 22 (Araras e Videiras) e Serra Vale (Itaipava – Cuiabá). 

Petrópolis é sede do Pólo de Ecoturismo da Região Serrana, abriga paisagem deslumbrante, integra o Parque Nacional da Serra dos Órgãos e está inserida na primeira APA (Área de Proteção Ambiental) criada no país. Os turistas podem desfrutar de recantos e locais paradisíacos para suas caminhadas ecológicas, cavalgadas e a prática de esportes radicais como rapel, canyoning, escaladas, vôo livre, arvorismo e Via Ferrata. Destaca-se como atrativo a Travessia Petrópolis – Teresópolis no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, trekking de aproximadamente 3 dias. 

O turista que vem a Petrópolis não dispensa as boas oportunidades de compras: Rua Teresa com mais de 800 lojas de roupas e acessórios de moda, Bingen com suas fábricas e lojas de móveis e malhas, Itaipava e arredores com variedade de lojas e shoppings recheados de artesanato, cerâmica, roupas, itens de decoração e antiguidades, além do Hortomercado Municipal que oferece produtos frescos e deliciosos, como verduras, legumes, condimentos, doces, bolos, laticínios, trutas, cogumelos, etc. As Feiras de Artesanato do Centro Histórico, do Horto e do Parque Municipal de Petrópolis e a Feira de Antiguidades da Praça Visconde de Mauá também podem fazer parte do roteiro. 

Petrópolis oferece um calendário de eventos com muitas atrações. Destacam-se o Festival de Verão, a Bienal do Livro (anos pares), a Bienal das Artes (anos ímpares), a Feira de Moda de Petrópolis, Exposição Agropecuária, a Expo Petrópolis (Feira de produtos e serviços, rodadas de negócio e palestras), Bauernfest (Festa do Colono Alemão), Festa do Chocolate, Festival de Inverno, Circuito Gastronômico, Petrópolis Gourmet, Aniversário de D. Pedro II e Natal Iluminado. Petrópolis oferece também um calendário de eventos permanentes mensais como o Som e Luz no Museu Imperial, a Serenata Imperial, o Baile da Feliz Idade e o Som e Cristal. Consulte o Calendário de Eventos

Aliada ao passado histórico e compromissada com o futuro com qualidade de vida, Petrópolis desenvolve suas vocações através do Turismo, Cultura, Artesanato, Moda, Agronegócios, fabricação de Móveis e Alta Tecnologia. Esta é a Petrópolis do século XXI. Seja bem-vindo!

Voltar     Topo